Por que existem tantas siglas e o que significa cada uma delas?

LGBTQIA+ faz parte das causas que defendemos na agência Fourmi. Muito mais do que fazer, buscamos contribuir sobre a pauta e propagar cada vez mais informação sobre o assunto para combater o preconceito enrustido em nossa sociedade. 

Dessa forma, tivemos mais uma roda de conversa, que aconteceu no dia 06/05/2022, com a Bárbara Fátima Depole, para conhecermos mais sobre as siglas e o que cada uma delas significa.

Atualmente, a sigla  LGBTQIA+ pode ser novidade para muitas pessoas e até mesmo gerar confusão para quem sabe o seu significado. Por isso, separamos este conteúdo, em conjunto com a Bárbara, para ensinar você um pouco mais sobre ela. Boa leitura!

 

A importância da mudança da sigla GLS

A sigla GLS se tornou bastante popular na época, pois em uma única sigla designava gays, lésbicas e o “S” de simpatizantes, de pessoas aliadas à causa LGBTQIA+. Porém, com o passar do tempo, essa sigla se tornou ultrapassada e excludente, já que deixava de fora outras identidades.

Em 2008, foi decidido que a sigla LGBT seria o termo utilizado para identificar a ação conjunta de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Brasil. A grande mudança aconteceu quando o “L” passou a ficar em primeiro lugar da sequência de letras, para dar mais visibilidade às mulheres lésbicas.

Já em 2018, ocorreu a inclusão da letra “I” para contemplar as pessoas de intersexos. Somente em 2019 que foi acrescentado o “+”. Dessa maneira, reunindo as outras orientações sexuais, identidades e expressões de gêneros. 

Mas, afinal, o que cada uma das siglas LGBTQIA+  significa?

Para entendermos o que cada uma dessas siglas significa, separamos um glossário para você! Bora lá?

  • Lésbicas: são mulheres que sentem atração afetiva/sexual/romântica pelo mesmo gênero (outras mulheres).
  • Gays: são homens que sentem atração afetiva/sexual/romântica pelo mesmo gênero (outros homens).
  • Bissexuais: são pessoas que sentem atração afetiva/sexual/romântica por dois ou mais  gêneros.
  • Transgêneres: são pessoas que não se autoidentificam com o gênero que foi designado ao nascimento. Não tem a ver com orientação sexual e, sim, com identidade de gênero.
  • Travestis: são pessoas designadas com o gênero masculino ao nascerem, mas que se reconhecem enquanto figura feminina. Por muito tempo, foi usado de forma pejorativa, mas foi ressignificado e hoje em dia carrega o peso político e de orgulho para este grupo de pessoas.
  • Homem Trans: homem que no nascimento foi designado segundo o sexo biológico feminino, mas se reconhece no gênero masculino, socialmente e juridicamente.
  •  
  • Mulher Trans: mulher que no nascimento foi designada segundo o sexo biológico masculino, mas se reconhece no gênero feminino, socialmente e juridicamente. 
  • Queer: é um termo amplo e abrangente (“estranhe”). Engloba as pessoas que não querem/não sabem se definir, mas ao mesmo tempo não querem se enquadrar em padrões heteronormativos. O termo “Queer” é mais usado por falantes da língua inglesa. No Brasil, ainda não é tão utilizado.
  • Intersexo: são pessoas que possuem características biológicas do sexo feminino e masculino.
  • Assexual/Agênero

– Assexual: são pessoas que não sentem atração sexual.

– Agênero: é a pessoa que não se identifica com nenhum gênero. Também são conhecidas como “gênero fluido”.

  • Símbolo +: todos os demais grupos de pessoas não cis e que não se veem como trans ou não binárias, bem como todas as outras orientações que fogem da heteronormatividade.
A Fourmi, algumas vezes, usa a letra P para compor a sigla LGBTQIAP+. P é de Pansexual, que é a atração sexual, romântica ou emocional em relação às pessoas, independentemente de seu sexo ou identidade de gênero.
 

Agência Fourmi: com fé na liberdade, somos parte da causa LGBTQIA+

Como já mencionamos, fazer parte dessa causa faz parte da nossa agência. A informação correta leva a mais conhecimento e menos preconceito e, por isso, lutamos. 

Há 13 anos no topo da lista, o Brasil continua sendo o país que mais mata pessoas trans no mundo. 

De acordo com o relatório de 2021 da Transgender Europe (TGEU), que monitora dados globalmente levantados por instituições trans e LGBTQIA+, 70% de todos os assassinatos registrados aconteceram na América do Sul e Central, sendo 33% no Brasil.

Por isso, essa deveria ser uma causa não somente nossa, mas de todos. É uma causa humana e é uma causa da comunicação, pois, pela força da publicidade, podemos mudar uma cultura machista, heteronormativa e patriarcal. São esses três preconceitos que regem a homofobia.

Compartilhe este post

Leia Também

GABRIELA GARBELOTTI
Head de motion

Motion designer e diretora de arte, hoje é responsável pelo time de audiovisual da agência. Conta com uma experiência de 6 anos na área da publicidade, integrou um coletivo de arte na Irlanda e é apaixonada por ilustração.

SOFIA BARACAT
Head de atendimento

Com 20 anos de experiência no mercado de comunicação, trabalhou em agências de Campinas, São Paulo e também no ambiente corporativo. 

Na área de Atendimento, atuou com clientes de diferentes segmentos como educação, automotivo, EPI, papel e celulose, veterinário e telefonia. 

sofia.baracat@fourmi.com.br

FERNANDO QUEIROZ
Diretor financeiro

 Executivo com longa carreira em grandes empresas, há 5 anos na agência, atua em toda a área administrativa e financeira, incluindo infraestrutura e aquisições de novos negócios.

fernando.queiroz@fourmi.com.br
+55 19 99117-2559

MARCIO ERBRECHT
Fundador e diretor de criação

Entre suas características, as que mais ajudaram na cultura da agência foram: sua habilidade em liderança, dedicação em ensinar e facilidade em criar. Aliás, criatividade está em sua formação e vocação. Tem mais de 20 anos de experiência com criação, 3D e toda a sua memória em reuniões é marcada pelas linhas de suas ilustrações.

marcio.erbrecht@fourmi.com.br
+55 19 99250-3876

RENATA MERCIER
Diretora executiva e de relacionamento

Sócia na agência com 15 anos de experiência na área da comunicação, Renata planejou a Fourmi para ser uma agência extensão do cliente, isso porque atuou, em grande parte de sua carreira, na gestão de marketing e comunicação de grandes empresas. Entre suas responsabilidades, está à frente do time de Atendimento.

renata.mercier@fourmi.com.br
+55 19 99495-1940